15 de março de 2012

FLOR DO DESEJO


Tua boca profere mentiras
que meu coração deseja ouvir.
Minha voz em teus ouvidos reafirma
o que tua rigidez não deixa fingir.
Tuas mãos são bálsamos;
o carinho do teu corpo é azeite doce, morno...
Esse é o meu homem!
Acalante minha carne trêmula
nas virtudes insaciáveis do prazer.
Regue minha flor do desejo;
redima a cobiça febril que se abre em devaneios!
No meu pescoço tua boca segue suave,
perdida, amável...
Descansa tua língua brincalhona
na carne macia dos meus seios.
Cura essa malícia que cresce insolente, insaciável.
Tenho fome; tenho sede.
Eis meu homem!
Em gemidos brindamos à luxúria;
no vaivém dos nossos corpos despertamos o deleite.
Bem-vindo gozo!
União ilícita... um encaixe perfeito!
Nesse pecado santo germina um fruto doce,
completo e intenso.
Entre minhas pernas, sob seus beijos,
descansa em mim a natureza mãe: a flor do desejo!

Janaína da Cunha
Outubro/2002

11 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, poeta!
Sensual sem ser vulgar, delicado e ao mesmo tempo forte e intenso.
Cada dia sou mais seu fã.
Beijos,
Edgar.

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
Ufa!
Sigo na mesma linha: intenso, sensual, erótico, sem perder o "prumo"...
Gostei!
Este estilo, é a minha deficiência como aprendiz de poeta!Lendo!Escrevendo! Aprender é preciso!
Obrigado pelo carinho da visita!
Bom final de semana!
Beijos!

Janaína da Cunha disse...

Edgar,
muito obrigada pelo carinho e pelas palavras, sinto-me lisonjeada.
Um grande abraço!

Janaína da Cunha disse...

Felisberto,
fico feliz com seu comentário. Era isso mesmo que tentei e procuro buscar em meus versos eróticos. Mostrar sensualidade sem vulgaridade, erotismo e intensidade sem agredir a sensibilidade e o bom gosto da alma. (rs)
Só não concordei com o que vc disse sobre seu estilo. Li suas poesias eróticas e as achei mt sensíveis, delicadas, suaves e com intensidade. Elas não ferem a beleza da alma... pelo contrário!
Ah, poeta... aprendizes somos todos nós. Eu aprendo a cada dia mais um pouquinho e sempre quando aprendo algo novo na arte de poetar e sentir os sentimentos com verdade e intensidade acabo percebendo que tenho mais e mais e mais que aprender.
Uma linda vida com poesia... sempre!
Um belo final de semana... beijos!

Anônimo disse...

Nesta chuva que declinas sua música nos telhados,umideço minha alma de seus versos alvos
alimentando-me de branda bela poesias suas
No silêncio onde desabrocha em meu
peito a emoção palpitante ao ler
tão belos poemas.

Um fraternal abração grande poeta

Anônimo disse...

rsrsrs esqueci de assinar meu nome abaixo ao comentario em cima
ass: com estima Luiz Carlos

Anônimo disse...

A chuva declina nos telhados dedilhando sua música,enquanto chove em mim,belos alvos versos seus,alimentando-me destas palavras dando de beber e saciando esta sede insasiável.
Desabrochando o silêncio inefável
fico aqui a contemplar com emoção seus belos poemas

Com profunda estima
Ass:Luiz Carlos

luiz carlos disse...

Neste vesperal a chuva dedilhando acordes no telhado,sinto sede
e venho saciar-me de teus versos
é insasiável a sede a fome,sempre
insasiável,retornando sempre a alimentar minha alma de alvos deleitas de suas poesias

Um fraternal abração grande poeta

Tiago Furtado disse...

U LA LA, O QUE ENCOTNRAMOS NESSES CAMINHOS VIRTUAIS DA VIDA, PÉROLA\S AS VEZES.. PROCURANDO POR goliardos ENCOTRNEI SEU BLOG SEÑORITA. UM DE SEUS POEMAS ME FEZ LEMBRAR UM: http://tiagocfurtados.blogspot.com.br/2010/01/suave-aventura.html


au revoir!

Janaína da Cunha disse...

Luiz Carlos, grande poeta!
Seus comentários versejantes sempre trazem o sol em minha alma.
Obrigada pelo carinho e pelo apoio, em breve estaremos juntos unindo nossos versos para encher o mundo de poesia.
Abraço fraternal!

Janaína da Cunha disse...

Tiago Furtado,
muito obrigada pelo comentário e pela visita. Seja sempre bem vindo!
Visitei seu blog e saboreei suas poesias... lindas!
Au revoir, poeta!!